segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Pronto socorro

Ando cobrindo meu corpo
Rodeando seus olhos
Exibindo o vazio
Gritando injurias
Afastando promessas
Rezando baixinho
Um mantra
Um santo canto vasto-horizonte
Para espatifar depois
Dois sorrisos
No céu
De sua boca

Quero deslizar um tanto quanto um tempo
Tanto, tanto...
Guardado no peito
Na fonte da pele
No cheiro mais dentro
Navego e quebro
O Pronto-socorro
De mim

Era para existir um cenário
Um camarim-vermelho
Na entrada do espelho
Ser feliz em fevereiro
Esperar o ano inteiro
Vasto encontro ruim!
Quero sim
Um jeito gelado por dentro
Um encontro marcado no breu
Vou ser assim errado
Todo seu
Aquele doente
De novo
Pornto-socorro-de-mim

David Cejkinski

Um comentário:

Rodrigo Sampaio disse...

Obrigado pelo comentário. Acabei encontrando mais da sua arte e gostei do que vi.